0

O belo velho invisível

Posted by jodelson on 20/11/2010 in Década de 1980 |

Não se diga,

Que de onde brota a espiga

só se aproveita o grão.

Não se diga que o milho

Perante o sol, com seu brilho,

Não relampeja a visão.

É passivo

Que todo calor que é vivo

Não vive só por ser útil,

Não é fútil

Se morre sem ser usado.

O milho que seca ao sol

Por não ter sido colhido,

Mesmo esquálido,

sórdido,

Não se resume a ser mórbido

Se ele se acha seco

É por ter de todo se dado

E seu turgor transformado

Em beleza

P’ra compor a natureza.

Deixe uma resposta

Copyright © 2010-2017 Poemas All rights reserved.
This site is using the Desk Mess Mirrored theme, v2.5, from BuyNowShop.com.